Hoje é uma importante data para comemoração e conscientização no território brasileiro: trata-se do Dia Nacional do Cego. Atualmente, mais de 18% dos brasileiros já possuem deficiência visual, segundo Censo do IBGE, e tal número tende a aumentar nos próximos anos.

Há algumas décadas, a realidade – e também a perspectiva – do Brasil, no que se refere à alfabetização e produção literária acessível, era de escassez e de dificuldades para o cego brasileiro. Neste milênio e, pricipalmente, nesta recente década, esse cenário tem mudado, através de iniciativas que priorizam o uso de tecnologia assistiva, possibilitando engajamento pleno na interface entre cego e livro.

O Instituto Quintal e o Grito do Livro, após anos de pesquisas de campo e milhares de bibliotecas móveis implantadas por todo o país, consolidou uma consistente linha de trabalho, também, em relação à implantação de bibliotecas acessíveis ultramodernas, com foco na deficiência visual – a mais prevalente entre os brasileiros, com mais de o dobro de pessoas em comparação com a taxa de portadores de deficiência motora.

Utilizando modernos equipamentos tecnológicos, a pessoa com imparidade visual poderá ser capaz de experienciar a literatura tradicional, moderna e do dia a dia. Além disso, será capaz de agendar gratuitamente para atendimento personalizado, com ambiente localizado em área nobre e acessível de Brasília, no Noroeste. Também será possíver levar obras em braille e audiolivros para casa, bem como conhecer mais a respeito de acessibilidades que já existem no dia a dia do cego, as quais, porém, poucos conhecem.

Em parceria com a construtora Lotus, que ofereceu um espaço em seu estande Casa Lotus, a Biblioteca Acessível Ruy Guerra de Andrade Filho será inaugurada em breve. O Grito do Livro sente-se honrado em estabelecer essa parceria, e orgulhoso em fazer parte de mais uma iniciativa acessível da Lotus, que demonstra preocupação e atenção ímpar e inequívoca com a população de pessoas com deficiência.