A 34ª Bienal de São Paulo, que teve início no começo de setembro, entrou em sua reta final. Esta é uma edição histórica da clássica bienal paulista, devido à possibilidade de as atividades serem acompanhadas presencialmente, após ameaças de uma edição virtual devido à pandemia.

Com o tema “Faz Escuro mas eu Canto”, verso de um poeta amazonense de 1926, a edição instiga o pensamento crítico dos presentes, a exemplo de vídeos educativos acerca da violência na colonização brasileira, assim como exposições dos mais variados tipos de arte contemporânea.

Resta necessário, ainda, elogiar a iniciativa do audiolivro inclusivo digital, produzido especificamente para a 34ª Bienal, com uma sugestão de percurso e explicações sobre as obras, de modo a auxiliar a população deficiente a aproveitar em igual intensidade. A narração é feita pela famosa atriz e apresentadora Marília Gabriela. É possível acessar o audioguia através desse link.

Para além disso, haverá também muito entretenimento, com direito a shows gratuitos de artistas famosos, como Maria Gadú, no sábado dia 13 de novembro. Não perca.

Para visitar a Bienal de São Paulo, não é necessário agendamento prévio, mas o uso de máscaras dentro do evento é obrigatório, bem como apresentação do cartão de vacinas contra o COVID, sendo exigida ao menos a primeira dose. A entrada é gratuita, e o evento vai até o dia 5 de dezembro de 2021.